Feliz Aniversário Pride & Prejudice

Basta me conhecer um pouquinho pra saber que eu sou totalmente APAIXONADA por Jane Austen. Livros, filmes, séries: eu vejo e quero tudo relacionado a minha verdadeira musa literária.

Lembro como se iniciou a minha admiração pelos trabalhos de Austen. Comecei pelo filme, admito. Devia ter uns 15 anos quando tive meu primeiro contato com a adaptação de Orgulho e Preconceito, dirigido por Joe Wright. E que, particularmente, é a minha adaptação favorita de O&P.

Recordo-me nitidamente de passar meses louca de vontade de ver o filme após assistir o trailer. Vejo ainda a cena do moço da locadora me persuadindo para levar Um Amor Para Recordar e não Orgulho e Preconceito. Ainda o escuto dizendo, “São bem diferentes. E o filme é bonito, mas as meninas gostam mais de Um Amor para Recordar”. Fui decidida e não me deixei influenciar. (Ainda que eu ame os livros de Sparks, nada se compara ao meu gosto por Austen)

Continuar lendo

Abertura em Londres: Do clássico ao Moderno

Postado originalmente no Figueira Comenta

Não tenhas medo; esta ilha é cheia de sons”. A frase de Shakespeare inspirou o diretor de cinema Danny Boyle a criar a cerimônia de abertura

Não me recordo muito bem das aberturas das edições anteriores das Olimpíadas, mas posso dizer que a abertura de Londres 2012 me surpreendeu. De certa forma o espetáculo me lembrou os livros da Jane Austen, sem muita ação e com muitos detalhes. Ainda que o ritmo da apresentação tenha sido um pouco mais lento, foi algo lindo de se ver.

Balões estourando marcaram a contagem regressiva. Me senti na Old England  com o cenário rural que remeteu às origens britânicas e com Shakespeare sendo recitado: “Quando eu acordar quero sonhar de novo“. Adorei as chaminés representando a era industrial e os anéis olímpicos que foram formados no alto do estádio.

A apresentação buscou seriedade na apresentação da história Inglesa e propôs diversão em muitos outros momentos. Um vídeo de James Bond escoltando a Rainha Elizabeth II foi exibido e sósias de ambos pularam de pára-quedas no estádio. Mr. Bean também esteve presente na festa. Ao som de Carruagem de Fogo, vimos um episódio especial dessa tão amada série.

A cultura inglesa teve o destaque merecido. J.K. Rowling leu um trecho de Peter Pan. Além disso Lord Voldemort, Capitão Gancho, Cruella de Vil e Mary Poppins também tiveram participação no espetáculo. A lista de músicos e artistas não foi econômica: Beatles, Rolling Stones, David Bowie, Queen, Prodigy, Amy Winehouse e Muse foram homenageados.

Destaque para a magnitude e beleza da Pira Olímpica.

E quem melhor para encerrar a abertura que Paul McCartney?

Parabéns a Londres, contou com seriedade e irreverência na medida certa. Uma festa magnífica e inesquecível. Espero que o Brasil tenha aprendido direitinho, afinal somos os próximos 🙂