Projeto Leitura Alimenta

leituraalimenta

As sete unidades da Livraria da Vila, localizadas em SP, em parceria com a Cesta Nobre, estão promovendo o projeto Leitura Alimenta, que pretende incentivar o público a doar livros usados a fim de inclui-los em cestas básicas destinadas a famílias de todo o Brasil. A ideia é “criar o hábito da leitura em pessoas que têm acesso restrito a livros”, segundo o site do projeto.

As obras devem estar em bom estado e os organizadores do projeto pedem para que sejam evitadas doações de:

  • Livros didáticos e/ou técnicos;
  • Livros com conteúdo religioso ou político;
  • Livros eróticos e/ou pornográficos;
  • Livros com conteúdo ofensivo em geral;
  • Livros puramente fotográficos;
  • Livros em língua estrangeira.

As doações podem ser feitas até o dia 26/04/2013 em todas as unidades da Livraria da Vila ou enviadas à caixa postal 73007 – CEP 08341-420.

Fonte: Veja Sp

Anúncios

Praias do Paraná recebem bibliotecas móveis

bibliopraia

Verão, sol, praia e livros. Esta é a melhor mistura para curtir as férias. Pensando nisso, a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) montou em cinco pontos do litoral paranaense o projeto Bibliopraia, uma estrutura que permite o empréstimo de livros e revistas de forma simples e sem burocracia. O projeto faz parte da Operação Verão do Governo do Estado e foi lançado pelo governador Beto Richa e pelo secretário da Cultura, Paulino Viapiana.

Cada Bibliopraia conta com um acervo de 1,2 mil títulos de todos os gêneros literários, selecionados pela equipe da Biblioteca Pública do Paraná (BPP). O empréstimo do livro é feito de forma simples, basta o leitor fornecer nome e telefone. A devolução pode ser feita em qualquer um dos Bibliopraias ou na BPP após o verão. O horário de atendimento é das 8h às 20h.

As Bibliopraias de Caiobá (Praia Brava), Guaratuba e Pontal do Paraná/Ipanema já estão em funcionamento. As de Caiobá (Praia Mansa) e Paranaguá estarão disponíveis a partir de 15 de janeiro. Os módulos, construídos especialmente para o projeto, funcionam até 17 de fevereiro e irão circular por outros municípios paranaenses entre março e outubro.
Continuar lendo

Empresário brasileiro paga 14º salário a colaboradores que lerem um livro por mês

Francis Maris Cruz, presidente do Grupo Cometa e recém eleito prefeito de Cáceres (MT), é o patrão que todos os leitores vorazes gostariam de ter…

Você tem uma iniciativa com livros bastante peculiar com seus funcionários, que envolve um 14º salário. Você pode nos explicar como funciona e como surgiu essa ideia?

Toda vez que você tem uma deficiência, você procura suprir de uma maneira. Em nosso caso, tínhamos uma deficiência em achar pessoas com nível superior, pessoas já formadas. Diante disso, precisávamos capacitar nossos funcionários. Então, além deles participarem de todos os cursos, treinamentos, congressos, nós fizemos esse projeto dos livros. Instituímos que todo o colaborador deveria ler um livro por mês e entregar um resumo.

Então, a loja atingindo as metas, o funcionário recebe o 14º salário e até o 15º salário. O detalhe é que para o funcionário receber, ele tem que ter ler os 12 livros e entregar os resumos. Isso é uma maneira de incentivá-los para que leiam e estejam sempre se atualizando. É uma formação pessoal e profissional muito boa que tem dado ótimos resultados. Isso ajudou os nossos colaboradores a crescerem muito. Só para você ter uma ideia, 99% dos nossos gerentes começaram de baixo, são prata da casa, e foram desenvolvendo suas habilidades.

Continuar lendo

Mulheres lêem mais livros que homens no Brasil

O brasileiro lê em média quatro livros por ano, entre literatura, contos, romances, livros religiosos e didáticos. Deste total, ele lê 2,1 livros inteiros por ano e dois em partes. Hoje, o Brasil é composto por 50% de leitores ou cerca de 88,2 milhões de pessoas. Neste conceito, foram considerados leitores apenas as pessoas que leram pelo menos um livro, inteiro ou em partes, nos últimos três meses. Há também cerca de 50% de não-leitores. As mulheres (53%) lêem mais que os homens (43%). Para 64% das pessoas ouvidas, “ler bastante pode fazer uma pessoa vencer na vida e melhorar sua condição socioeconômica”. 

Esses são os principais dados da pesquisa feita ano passado pelo Instituto Pró-Livro (IPL), com o apoio das entidades fundadoras Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares (Abrelivros); Câmara Brasileira do Livro (CBL); e Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). É considerado o maior e mais completo estudo sobre o comportamento leitor do brasileiro em todas as regiões do país.

(Retirado do Facebook do Skoob)

Biblioteca Parque da Rocinha registrou mais de 7 mil visitas

Desde a sua inauguração, em junho, a Biblioteca Parque da Rocinha já registrou mais de 7 mil visitantes. Localizado na Estrada da Gávea, o espaço cultural de 1,6 mil m² e cinco pavimentos têm atraído, em média, 500 frequentadores por dia.

Segundo a diretora da unidade, Daniele Ramalho, 70% do público é composto por crianças e jovens, que além de usar o acervo literário, assistem a filmes na DVDteca do primeiro andar. O espaço cultural e de convivência também é frequentado por moradores de outras localidades, sub-bairros próximos e distantes da comunidade.

Até agora, 1.324 carteirinhas de sócios foram emitidas e 1.826 livros foram emprestados. Mais de 2.250 moradores já assistiram aos filmes do acervo de 1.238 títulos.

– A média de empréstimos de livros é bastante alta. No período da Rio+20, por exemplo, tivemos quase 400 empréstimos por dia. Há um público leitor aqui. A Rocinha tem atores sociais e culturais muito organizados. A divulgação acontece pelo boca a boca. Crianças, jovens, adultos, famílias inteiras frequentam o espaço – disse a diretora.

Livros de temática adolescente estão entre os mais procurados pela faixa-etária. Já os adultos buscam publicações com temáticas religiosas e de autores consagrados como Clarice Lispector e Mario Quintana.

– Acho que o equipamento surgiu numa fase importante de pacificação, trazendo cultura e internet a crianças, jovens
e adultos da comunidade. Faltava um espaço como este. O lugar superou as expectativas – afirmou o professor de artes, Rogério Roque, 28 anos.

Texto retirado do Correio do Brasil

A Leitura na Infância

No mundo de hoje os livros têm concorrido com a televisão, videogame, computador. À primeira vista, os livros não parecem tão interessantes para a maioria das crianças.  Por isso é imprescindível não somente os professores, como os pais, estimularem os pequenos a lerem. Pensando nisso, o site Gazeta Online elaborou uma lista com alguns livros para o público infantil.

Leitura para cada fase da criança

2 a 4 anos

Ilustração: Nessa fase, os livros devem ser ricamente ilustrados. Com eles, as crianças começam a aprender algumas palavras, a associar as figuras a determinados objetos.

Os indicados
O Porco Narigudo
Autor: Keith Faulkner
História parte da brincadeira que ‘há muito, muito tempo, todos os porcos tinham narizes compridos…’. Com as dobraduras, as crianças podem ver ampliados os narizes dos porquinhos

Gabriel, já para o banho
Autor: Ilan Brenman e Silvana Rando
O livro é legal para conscientizar as crianças da importância da higiene pessoal

5 a 8 anos

Contando com você: Depois dos 4 anos, a criança já tem habilidades para entender uma história, sabe contá-la e começa a gostar da fantasia.

Os indicados
Bom dia, todas as cores
Autor: Ruth Rocha
Essa história também foi gravada em CD, com narração da própria Ruth e trilha sonora da dupla Palavra Cantada

Futebol
Autor: Lalau
Fala de um esporte que os meninos estão começando a jogar e cujas regras estão aprendendo na prática. Há poeminhas e trocadilhos

8 a 10 anos

Valores: Nessa etapa do desenvolvimento, é importante que as crianças tenham contato com livros que abordem valores sociais, como cooperação, amizade, solidariedade e honestidade.

Os indicados
Diário da Julieta
Autor: Ziraldo
O escritor e cartunista Ziraldo criou, em forma de quadrinhos, as divertidas histórias
de Julieta, com as quais as garotas irão se identifica

Pluft, o fantasminha
Autor: Maria Clara Machado
A obra de 1955 tem uma linguagem diferente para as crianças, pois é uma peça teatral.

Quando as palavras livros e infância vêm à minha mente, o que eu penso logo é Pollyanna de Eleanor H. Porter. Esse livro definitivamente marcou minha infância. Além de a história carregar um positivismo que supera as situações adversas, a versão da coleção Reencontro Infantil deixa a leitura ainda mais divertida por conta do lindo design gráfico e das ilustrações de massinha. Infelizmente eu não tenho mais o livro, já que eu emprestei para uma amiga que acabou se mudando… e essa versão não está mais disponível no Brasil, o que é uma pena.

Qual livro marcou a sua infância?

Detentos em cadeias federais poderão ter pena reduzida através da leitura

Os presos de penitenciárias federias que se dedicarem à leitura de obras literárias (clássicas, científicas ou filosóficas) poderão ter as penas, em regime fechado ou semiaberto, reduzidas. O projeto Remição pela Leitura determina que a cada livro lido, o detento terá sua pena diminuída em quatro dias. Essa decisão foi publicada ontem no Diário Oficial da União

O preso terá o prazo de 21 a 30 dias para finalizar a leitura da obra, que é disponibilizada em cada presídio federal. Além disso, ele terá que elaborar um resenha a ser analisada por uma comissão de especialistas em assistência penitenciária. A comissão também avaliará a autenticidade da resenha. Caso seja constatado o plágio, o detento perde o direito de redução da pena.

Ao que parece a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) também planeja implementar o sistema nos presídios gaúchos. A Susepe já incentiva a leitura nos presídios disponibilizando cerca de 10 mil livros para presos. Já existe um projeto para ser lançado, na próxima Feira do Livro da Capital, uma obra inteiramente escrita por detentos, com textos produzidos em oficinas de produção textual nas cadeias.

 Fonte:  Zero Hora