Feliz Aniversário Pride & Prejudice

Basta me conhecer um pouquinho pra saber que eu sou totalmente APAIXONADA por Jane Austen. Livros, filmes, séries: eu vejo e quero tudo relacionado a minha verdadeira musa literária.

Lembro como se iniciou a minha admiração pelos trabalhos de Austen. Comecei pelo filme, admito. Devia ter uns 15 anos quando tive meu primeiro contato com a adaptação de Orgulho e Preconceito, dirigido por Joe Wright. E que, particularmente, é a minha adaptação favorita de O&P.

Recordo-me nitidamente de passar meses louca de vontade de ver o filme após assistir o trailer. Vejo ainda a cena do moço da locadora me persuadindo para levar Um Amor Para Recordar e não Orgulho e Preconceito. Ainda o escuto dizendo, “São bem diferentes. E o filme é bonito, mas as meninas gostam mais de Um Amor para Recordar”. Fui decidida e não me deixei influenciar. (Ainda que eu ame os livros de Sparks, nada se compara ao meu gosto por Austen)

Continuar lendo

Anúncios

Ler com regularidade é benéfico para a saúde

Texto integral

São cada vez maiores as evidências de que ler faz bem à saúde. Estudos realizados por diferentes instituições de ensino superior internacionais revelam que os benefícios vão desde a memória e do aumento da plasticidade do cérebro à melhoria das relações interpessoais e da empatia, passando, até, pela redução da pressão arterial.

De acordo com jornal Daily Mail, o debate acerca da importância da leitura reacendeu-se graças a um estudo recente da Universidade da Califórnia, nos EUA, destinado a publicação na revista científica Archives of Neurology.

A investigação em questão mostrou que o desenvolvimento de atividades que estimulam o cérebro, nomeadamente a leitura diária desde tenra idade, pode ajudar a prevenir a doença de Alzheimer. Continuar lendo

13 lições de vida dos hobbits

Por Noble Smith*; Retirado do Blog da Novo Conceito

Ao longo da minha vida, ainda não superei a sensação surpreendente de felicidade ao descobrir mais alguém que ama Tolkien. Eu já vi seus livros nas estantes de escritores famosos e de fazendeiros diligentes, pessoas de sucesso nos negócios e engenheiros de tecnologia de última geração. Todos esses homens e mulheres compartilham algo em comum: eles amam aos hobbits mais que quaisquer outras personagens dos contos de Tolkien. Isso é porque existe uma qualidade na natureza dos hobbits (e não nas personagens chamadas hobbits) que os permitem viver dentro de nós de modo profundo e duradouro. Em meu livro, A Sabedoria do Condado (The Wisdom of the Shire), eu demonstro como nossas vidas podem ser melhores se algumas das características dos hobbits se tornassem nossas também.

Aqui estão 13 lições que podemos aprender com o Condado:

1. Coma como um Brandebuque, beba como um Tûk

© New Line Productions

Os hobbits são, possivelmente, os glutões mais adoráveis da literatura. Eles comem seis refeições por dia, conforme Tolkien nos conta no Prólogo de O Senhor dos Anéis, pelo menos “quando podiam tê-las”. O que era tão atraente na comida do Condado para os hobbits? Ela era composta pelos tipos mais básicos de alimentos – batatas, bacon, pão e manteiga, cerveja escura e, claro, cogumelos. Mas às vezes, as coisas mais simples, cozidas da maneira correta, são as mais saborosas. Comida de hobbit é “sopa de cogumelos para a alma”. Quando nos alimentamos com fast-food, é o mesmo que estarmos nos alimentando com gororoba de Orc. Hobbits, como Merry e Pippin, estão constantemente deliciados e maravilhados com as coisas que comem e bebem. Uma refeição é um evento prazeroso e uma reafirmação da vida.

Continuar lendo

Empresário brasileiro paga 14º salário a colaboradores que lerem um livro por mês

Francis Maris Cruz, presidente do Grupo Cometa e recém eleito prefeito de Cáceres (MT), é o patrão que todos os leitores vorazes gostariam de ter…

Você tem uma iniciativa com livros bastante peculiar com seus funcionários, que envolve um 14º salário. Você pode nos explicar como funciona e como surgiu essa ideia?

Toda vez que você tem uma deficiência, você procura suprir de uma maneira. Em nosso caso, tínhamos uma deficiência em achar pessoas com nível superior, pessoas já formadas. Diante disso, precisávamos capacitar nossos funcionários. Então, além deles participarem de todos os cursos, treinamentos, congressos, nós fizemos esse projeto dos livros. Instituímos que todo o colaborador deveria ler um livro por mês e entregar um resumo.

Então, a loja atingindo as metas, o funcionário recebe o 14º salário e até o 15º salário. O detalhe é que para o funcionário receber, ele tem que ter ler os 12 livros e entregar os resumos. Isso é uma maneira de incentivá-los para que leiam e estejam sempre se atualizando. É uma formação pessoal e profissional muito boa que tem dado ótimos resultados. Isso ajudou os nossos colaboradores a crescerem muito. Só para você ter uma ideia, 99% dos nossos gerentes começaram de baixo, são prata da casa, e foram desenvolvendo suas habilidades.

Continuar lendo

Mulheres lêem mais livros que homens no Brasil

O brasileiro lê em média quatro livros por ano, entre literatura, contos, romances, livros religiosos e didáticos. Deste total, ele lê 2,1 livros inteiros por ano e dois em partes. Hoje, o Brasil é composto por 50% de leitores ou cerca de 88,2 milhões de pessoas. Neste conceito, foram considerados leitores apenas as pessoas que leram pelo menos um livro, inteiro ou em partes, nos últimos três meses. Há também cerca de 50% de não-leitores. As mulheres (53%) lêem mais que os homens (43%). Para 64% das pessoas ouvidas, “ler bastante pode fazer uma pessoa vencer na vida e melhorar sua condição socioeconômica”. 

Esses são os principais dados da pesquisa feita ano passado pelo Instituto Pró-Livro (IPL), com o apoio das entidades fundadoras Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares (Abrelivros); Câmara Brasileira do Livro (CBL); e Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL). É considerado o maior e mais completo estudo sobre o comportamento leitor do brasileiro em todas as regiões do país.

(Retirado do Facebook do Skoob)

Por que elas preferem os homens que leem?

Aí rapazes, se liguem!

Retirado do site Viva Bem.

Você se encantou com aquela gata, ela olhou para você e deu todos os sinais de “pode avançar o sinal”.

Confiante nas horas gastas na academia para ficar em forma, você se aproximou dela, mas depois de uma conversa morna acabou desistindo, já que a deusa se desinteressou totalmente da sua pessoa e só faltou bocejar.

O problema, meu caro, pode ter sido uma simples e comum falta de conteúdo. E agora, como malhar o cérebro e ficar mais interessante?

Segundo o escritor, Jeremy Beal, colunista do site “Ask Men”, a melhor maneira é encarar uma boa e velha leitura. “Ler é quase um ato de revolta em nossa cultura passiva da tela digital”, explica.

O escritor listou alguns motivos para transformar radicalmente seu estilo através dos livros e entender por que elas preferem os homens que leem.

Continuar lendo

Reler livros pode ser terapêutico

Reler um livro ou assistir a um mesmo filme mais de uma vez não tem nada a ver com vício ou obsessão. De acordo com o resultado de uma pesquisa liderada por Cristel Russel, professor da American University, essa prática é uma forma consciente de encontrar camadas de significado mais profundas no material e refletir sobre o próprio amadurecimento.

23 pessoas foram entrevistadas para essa pesquisa, cujo objetivo era identificar as razões do chamado “re-consumo” de um material. Reler um livro ou rever um filme pode servir como uma espécie de terapia,  já que esses atos permitem uma análise da mudança na interpretação do livro ou filme ao decorrer do tempo. Segundo os estudiosos, essa experiência não é uma tentativa de reviver o passado, mas uma busca por significado, que pode ter grande valor emocional, além de determinar o contraste entre o eu atual e o eu do passado.

Fonte: Revista Galileu

Quando eu releio um livro, eu tenho a sensação de reencontrar velhos amigos, impressão que é acentuada quando o livro pertence a uma série. E exatamente como comprovado pela pesquisa, o livro se torna uma espécie fonte inesgotável em que os leitores, na releitura, vão em busca do “mais” que uma segunda, terceira leitura proporciona quando atrelada a experiência de vida.

Dentro os livro que tenho, os que eu mais gosto de reler são: Harry Potter, As Crônicas de Nárnia, Orgulho e Preconceito da Jane Austen, Academia de Vampiros da Richelle Mead e Jogos Vorazes.

E quais são as suas releituras preferidas?