SaraivaConteúdo entrevista Susane Colasanti

Por Thaís Ferreira em SaraivaConteúdo
Esperando por Você
foi baseado nas próprias
experiências de Susane
Marisa é uma garota cheia de problemas: ela tem crises de depressão e ansiedade, sua melhor amiga tem uma queda por homens mais velhos, seus pais estão se separando e, para piorar, é apaixonada por um menino que tem namorada.
Essa podia ser a situação de várias meninas, mas ela é uma personagem do livro Esperando por Você, da escritora norte-americana Susane Colasanti, que acaba de ser lançado no Brasil pela Editora Novo Conceito.

A autora já tem outro título traduzido; Bem Mais Perto, da mesma editora. Muito mais do que escritora, Susane realmente entende a cabeça dos adolescentes. Ela se sentia deslocada na sua época de escola, foi professora por 10 anos e nunca perdeu o espírito jovem. Conheça mais sobre Colasanti nesta entrevista exclusiva.

Você foi professora do Ensino Médio antes de ser escritora. Quando você decidiu escrever em tempo integral?  
Susane Colasanti. Deixar o meu trabalho como professora para me tornar uma escritora em tempo integral não fazia parte do meu plano original. Eu sabia que queria ser professora de Ciências desde que tinha 12 anos. Meu propósito era claro: aproximar-me dos jovens e ajudá-los a não se sentirem tão sozinhos. Foi uma tarefa difícil ter que ensinar e escrever ao mesmo tempo. Adorava lecionar e amava as crianças, mas eu estava exausta. Quando a oportunidade de escrever em tempo integral apareceu, tive que aceitar. Felizmente, ser autora funcionou para mim, eu adoro meu trabalho.
Esperando por Você foi baseado nas suas próprias experiências de estudante ou nas suas observações como professora?
Susane Colasanti. As minhas próprias experiências inspiraram Esperando por Você. Eu era totalmente estranha durante o ensino médio, socializar com outras crianças era difícil para mim. Elas pegavam no meu pé por ser uma nerd que gostava de ciências e por ter uma família relativamente pobre para aquela região. Eu também tive problemas de ansiedade e depressão, assim como a Marisa do livro. Meu objetivo ao escrever Esperando por Você era motivar os leitores a criarem sua vida ideal.
Você acha que os 10 anos em que lecionou te ajudaram a compreender os pensamentos dos adolescentes?
Susane Colasanti. Eu me lembro dos meus próprios pensamentos quando jovem. Minha idade interna é de 16 anos, então, de várias maneiras, ainda me sinto uma adolescente. Eu me lembro do desejo de ter um namorado, da turbulência, da angústia de todos os dias, da esperança de um dia ter uma vida melhor. Recordo como se tudo isso tivesse acontecido ontem. Essa emoção jovem é algo com o qual nunca vou perder contato. Mas ser professora ajudou a atualizar meus pensamentos. Lecionar me colocou em contato com essa nova geração. Tenho usado algumas conversas e interações que vi na sala de aula nos meus livros.
Marisa teve problemas associados à vida adulta, como a depressão e ataques de ansiedade. Você acha que hoje em dia é difícil ser adolescente?
Susane Colasanti. Depressão e ansiedade são problemas comuns entre os jovens. Esses anos da vida são extraordinariamente desafiadores, porque eles representam a fase em que as pessoas estão lutando de forma mais aguda com sua autoestima, explorando sua verdadeira identidade, achando propósitos no mundo e tendo muitas primeiras experiências. O cérebro ainda está em desenvolvimento e os hormônios estão agindo de forma selvagem. É difícil ter que descobrir quem você é com um desequilíbrio químico no sistema.
No livro, Marisa tem o sentimento de que sua vida não começou ainda. Qual o seu conselho para as garotas que estão na mesma situação que ela? 
Susane Colasanti. Existem coisas que você pode fazer agora mesmo que começam a melhorar sua vida. Assim como Marisa, eu senti que minha vida só começou depois que fui para a faculdade. Uma técnica que uso como parte do meu processo criativo é identificar três objetivos. Desses três, defina qual é o mais importante para você. Agora, pense em três coisas reais que você pode fazer todo dia para chegar mais perto dessa meta. Mesmo se você fizer apenas umas dessas coisas por dia, já vai ser um passo para transformar seu sonho em realidade. Se você fizer as três coisas todos os dias, será ainda melhor. Sonhos tornam-se realidade se você continuar acreditando neles e trabalhar para isso acontecer, mas o processo não acontece do dia para a noite.
A história do livro se passa nos Estados Unidos, mas os problemas que Marisa encara, como as dúvidas relacionadas ao primeiro namorado, são semelhantes aos dos adolescentes brasileiros. Você acha que esses problemas são universais para todos que estão crescendo? 
Susane Colasanti. Eu acho. Problemas em casa, confusões com meninos, conflitos na amizade e problemas na escola são universais. Espero que esses problemas em comum façam os jovens se sentirem menos solitários. Não importa qual problema você tenha, existem outras pessoas com as mesmas dificuldades. Existe certo conforto em saber que outras pessoas podem entender sua situação.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s