Extra: Entrevista com Tammy Luciano

Por Yasmin Garcia no 6 que Sabem (Extra)

Todos nós sabemos que há certo preconceito com a literatura do nosso país. Alguns brasileiros tem a mania de dizer que tudo lá de fora é ótimo, e que tudo do Brasil é uma porcaria. Isso não é só com livros, mas o post de hoje é sobre isso.

Os escritores nacionais são desvalorizados. Nossa literatura não se resume à Machado de Assis e outros. Temos MUITOS escritores, que falam sobre diversos assuntos, de todos os tipos. Não estou dizendo que literatura estrangeira é ruim, muito pelo contrário, é ótima! E nem dizendo que todo livro brasileiro é bom. Como em qualquer lugar, temos livros bons e ruins, escritores com e sem talento.

Mas é preciso se abrir mais para as coisas que são produzidas no nosso país, não podemos nos limitar a ler somente outro tipo de literatura sem ser a nossa. Se leu e não gostou, tudo bem, mas nem todos os livros que são produzidos no mesmo ambiente são iguais. As histórias são diferentes, a escrita é diferente, o escritor é diferente. Como disse, vamos nos abrir para coisas novas, experimentar e, o principal: desfrutar das coisas do lugar em que vivemos.

Conversei com uma escritora que amo e, em minha opinião, tem histórias ótimas e uma escrita muito boa, que faz você se familiarizar com as palavras e, ao mesmo tempo, é uma leitura fácil, em que você entende tudo que é dito. Ela também luta muito pela literatura nacional! Com vocês: Tammy Luciano, que deixa seu recado para todos: SEJAM SEMPRE FELIZES! Saiba mais da autora aqui: http://www.tammyluciano.com.br.

1- O que deve ser feito para as pessoas lerem mais livros nacionais?

Fazer o que os autores estão fazendo: uma grande campanha de divulgação dos livros brasileiros. Nossas histórias não tem neve, mas podem conquistar o leitor com o calor carioca ou a personagem andando na Avenida Paulista. Eu me dedico ao meu trabalho, esquecendo esse assunto, apagando da mente que algumas pessoas não vão comprar meu livro só porque sou brasileira. Acho fora do tom um leitor que determina sua leitura por nacionalidade. Acho fundamental a política de leitura, as Feiras, eu faço palestras em escolas, sou ativa na internet e isso ajuda muito. A imprensa poderia ajudar mais. Outro dia vi uma matéria enorme, em um programa importante, falando sobre decote. Infelizmente não temos matérias desse tipo falando da literatura nacional. Então que jornalistas, escritores brasileiros, blogueiros e leitores que já descobriram os livros brazucas divulguem ainda mais essa ideia.

Continuar lendo

Trailer da adaptação cinematográfica de O Hipnotista

Assista ao trailer de O hipnotista, adaptação cinematográfica do thriller policial sueco que estreia em 28 de setembro na Suécia. O filme (ainda sem previsão de lançamento no Brasil) é dirigido por Lasse Hallström, indicado ao Oscar por Regras da vida e Minha vida de Cachorro, e protagonizado por Mikael Persbrandt, ator de Momentos Eternos de Maria Larssons e Em um mundo melhor.

No primeiro volume da série escrita por Lars Kepler, pseudônimo do casal Alexandra e Alexander Ahndoril, os membros de uma família foram brutalmente assassinados. A única testemunha é o filho, um jovem traumatizado demais para falar. Na tentativa de solucionar o caso, o detetive Joona Linna pede ajuda a Erik Bark, um ex-hipnotista. O pesadelo, continuação de O hipnotista, será publicada pela Intrínseca em novembro.

Texto publicado no site da Intrínseca.

Intrínseca: Lançamento de Setembro

Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra sem precedentes. O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito.

Fiquei uma curiosa pra ler esse livro!

Lançamentos: Galera Record

Sabem o que começou a chegar às livrarias?

Amada Imortal – Primeiro livro de bem-sucedida trilogia, mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem na trama, protagonizada pela imortal Nastasya. Nascida em 1551, acostumada a beber e sair para baladas cada vez mais loucas, ela perdeu o rumo. Suas conexões com outros imortais, interessados apenas em suas habilidades mágicas, a fazem partir em busca de um propósito. E o encontra em uma espécie de clínica de reabilitação para os de sua espécie, onde conhece um pouco mais sobre o próprio passado e cria importantes laços para o futuro.

Sr. Ardiloso Cortês, vol. 4 – Dias sombrios – Mais uma vez, Derek Landy constrói uma trama repleta de inteligência, magia, personagens cheios de estilo (e com nomes incríveis) e vilões perigosos e vingativos. Várias dessas ideias vieram de seus roteiros para filmes de zumbis e assassinos em série. Neste novo livro da série, hilário, tenso, carregado de ação, surpresas e cenários criativos, há uma nova ameaça à valente heroína Valquíria, mas isso não é tudo. Tem também o fato de que o mal irrevogável está para chegar e destruir o nosso mundo

Mwindo – Quando o rei Shemwindo convoca sua aldeia para fazer uma assembleia, ninguém pode imaginar a importância do seu comunicado. O rei proíbe que qualquer uma de suas sete esposas grávidas dê a luz a um menino. Mas Nyamwindo, a última das esposas, passa por uma experiência digamos, ligeiramente diferente. Parece que o bebê vai sair pelo lado errado! É Mwindo, o primeiro filho homem do rei que resolveu nascer diferente.

Biscoitinho Chinês – A padaria de Jorge da Silva tem um ótimo ajudante! Nas horas livres, Pedro Amaro adora fazer pães ao lado dos pais, que trabalham na Borboleta Branca. Com as boas vendas, Jorge convida a família do menino e a caixa Maria do Socorro para jantar no restaurante Hong Kong. É lá que os funcionários conhecem os famosos biscoitinhos chineses e onde Pedro recebe uma mensagem inspiradora capaz de mudar seu futuro.


A Suma está fazendo uma enquete sobre os autores que os leitores gostariam de ver na Bienal 2013. Vota lá